Testamos: Cara, caixa de som bluetooth AudioCube WOODS agrada pelo design Testamos: Cara, caixa de som bluetooth AudioCube WOODS agrada pelo design

A caixa de som bluetooth AudioCube WOODs chama a atenção logo à primeira vista. Quadradinha, pequena, com revestimento que emula madeira, o equipamento é realmente bonito – podendo mesmo servir de “enfeite” na sala de casa ou nos ambientes que ficará alocada.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Raio-X


Nome: AudioCube Woods

Quantidade de auto-falantes: 5 (4 auto-falantes + 1 subwoofer)
Saída USB: Não
Cabo extensor: 1 metro
Voltagem: Bivolt automático
Tempo de música: até 12h de reprodução contínua
Potência: 30W RMS de potência real, 360° surround
À prova de respingos d’água: Sim
Conexão: bluetooth 4.0, com alcance até 10m
Faixa de frequência: 40Hz-20kHz
Largura da banda: 90dB
Botão liga/desliga: com LED integrado
Funções: avançar/recuar faixa, botão bluetooth, play/pause, volume
Material: Policarbonato de alta resistência
Peso (com embalagem): 1,33Kg
Dimensões (LxAxP): 11 x 11 x 11cm
Compatibilidade: aparelhos com Bluetooth e conexão de áudio auxiliar
Pontos positivos: Design, fácil de usar, duração da bateria
Pontos negativos: Preço, som abafado, pesada
Preço: US$ 99 ou R$ 600

Ela também é muito fácil de usar. Nos testes realizados pelo 33Giga, se mostrou bastante intuitiva. Para conectá-la via Bluetooth em smartphones, por exemplo, bastam dois comandos – um na AudioCube e outro no telefone. A conexão é imediata. Como tem suporte a cabo de áudio auxiliar, também “conversa” com equipamentos que não possuem suporte à rede sem fio.

Em sua estrutura há pouco botões (retroceder, avançar, play, volume, Bluetooth, ligar e desligar e quase mais nada), o que também reforça sua vocação para agradar a quem não tem (ou não quer ter) muita familiaridade com eletrônicos. Sua bateria também chama a atenção: de acordo com a fabricante, 12 horas em uso constante.

Seus pontos negativos, entretanto, chamam tanta atenção quanto os positivos. O principal deles é o som que, invariavelmente, sai meio abafado. Há reforço nos graves e a potência é muito boa (já que tem 30 W) – mas isso ainda é ofuscado por boa parte das canções reproduzidas nela darem a impressão de que estão sendo tocadas sob um cobertor.

Outro ponto que desabona a AudioCube é seu peso – 1,33 kg na embalagem. Ela é um tanto escandalosa. Ao ser acionada, ela informa que “acordou” com um som que lembra um Passat dos anos 80 sendo acelerado. Quando se conecta a um equipamento Bluetooth ou é desligada, deixa isso bem claro, apitando de forma estridente.

O modelo também não é fácil de encontrar de forma oficial no Brasil. Ele pode somente ser encontrado em sites gringos, como Amazon (que a vende por US$ 99). No País, a representante ELG vende um modelo semelhante (somente sem o design que imita madeira) por R$ 600 – de qualquer forma, em real ou dólar, ela sai um tanto quanto cara pelo que oferece.

 

 

Leia mais
Do Walkman ao iPhone: Veja a evolução dos players portáteis de música
Visualify mostra músicas e artistas mais reproduzidos em seu Spotify
Descubra que filme e música faziam sucesso no dia em que você nasceu

No álbum, confira outros eletrônicos testados pelo 33Giga:

 
 
  • Sony_Xperia XZ2_Preto
  • Fone JBL T450BT. O teste completo em https://wp.me/p7AVMp-eKM
  • Testamos: por R$ 330, caixa de som Pulse é resistente à água e dura mais de cinco horas
<
>
Menu