Tags

Dicas

Entenda porque a energia solar pode diminuir a conta de luz dos brasileiros

Créditos: https://depositphotos.com/br/in
28 novembro, 2023
Da Redação, com assessoria

*Por Kim Lima // Atualmente, o Brasil vive um cenário de transformação dentro da sua matriz energética. Com a necessidade de diversificar as fontes de energia, principalmente pela preocupação com a sustentabilidade do planeta, o País tem se aproveitado do surgimento de novas tecnologias para encontrar meios de suprir sua alta demanda a partir de fontes renováveis.

Quer saber tudo sobre Universo Sugar? Clique aqui e leia o e-book O Guia dos Sugar Daddy & Sugar Babies

Diante desse contexto, a energia solar aparece como forte candidata à protagonista. Gerada a partir dos raios solares, ela pode ser captada diretamente nas residências ou nas usinas por meio da geração distribuída (método em que a energia captada no local é inserida nas companhias de distribuição e compartilhada entre os consumidores cadastrados no serviço).

Além do baixo impacto ambiental, uma vez que se trata de uma fonte renovável e que não emite poluentes durante o processo de geração, a energia solar também se destaca por conseguir diminuir a conta de luz dos brasileiros.

Até por conta desse contexto, o mercado fotovoltaico não para de crescer no País. Mais de 88% da capacidade instalada na matriz elétrica brasileira neste ano têm origem nas fontes solar e eólica. De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), de janeiro até outubro, a expansão da capacidade instalada da matriz elétrica foi de 7 GW, sendo que 6,2 GW foram solar (3 GW) e eólica (3,2 GW). Além disso, os investimentos na área vão superar a marca de R$ 56 bilhões, enquanto mais de 300 mil novos empregos serão gerados no setor até o final de 2023.

Não é à toa que o Brasil, hoje, ocupa a 8ª colocação no ranking mundial de produção de energia solar, além de somar mais de 20 mil empresas voltadas para a geração fotovoltaica. Todo esse panorama, somado ao avanço intenso da tecnologia, contribui para que a fonte de energia se torne cada vez mais acessível à população. De acordo com dados publicados pela Absolar, o custo médio de um módulo fotovoltaico caiu cerca de 80% durante a última década.

No entanto, há de se destacar que o atual nível da disrupção inerente ao mercado fotovoltaico é tanto que já é possível os consumidores também aproveitarem os benefícios sem nem mesmo precisar instalar placas solares no imóvel. Graças ao modelo chamado de geração compartilhada, em que a energia limpa é captada em parques solares e depois inserida na rede da distribuidora da região, a população consegue desfrutar do benefício através de uma adesão simples e gratuita.

Assim, a companhia que oferta esse tipo de serviço promove economia a curto prazo, sem a necessidade de investimento em equipamentos ou de possíveis adaptações na casa.

Por todas essas razões, o Brasil está bem posicionado para aproveitar todo o potencial da energia solar. Pela maturidade e o rápido avanço que o mercado vem demonstrando, a tendência é de que as instalações e equipamentos fotovoltaicos fiquem ainda mais baratos nos próximos anos, fazendo com que mais pessoas a utilizem. Com esse cenário, quem só tem a agradecer é o meio ambiente e o bolso da população, que pode diminuir a conta de luz .

*Kim Lima é Diretor de Comercial e Marketing da Evolua Energia, empresa especializada em gestão distribuída compartilhada.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Newsletter

Receba com exclusividade nossos conteúdos e o e-book sobre segurança na internet.