Refeições, câmeras de segurança e mais: conheça diferentes serviços de economia colaborativa Refeições, câmeras de segurança e mais: conheça diferentes serviços de economia colaborativa

A economia colaborativa, também chamada de economia compartilhada, chegou ao Brasil para ficar. O segredo dessa modalidade de negócios está na facilidade e agilidade dos serviços oferecidos ao consumidor. Segundo pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 79% dos brasileiros concordam que o consumo colaborativo torna a vida mais fácil.  Ainda de acordo com o levantamento, as modalidades mais conhecidas e utilizadas são aluguel de imóveis (40%), caronas para o trabalho ou faculdade (39%) e aluguel de roupas (31%).

A demanda por serviços “uberizados”, como se convencionou chamar a modalidade, só se faz crescer, e o conceito de economia colaborativa se espalha cada vez mais para novos segmentos de atuação. Alguns deles, inclusive, o consumidor nem se quer imagina que seja possível compartilhar. Conheça abaixo seis ferramentas inovadoras que contribuem para diversificar esse jovem mercado.

Leia mais
Compartilhe sofás, garagens e mais com apps de economia colaborativa
Troque habilidades por acomodações e viaje o mundo com site de economia colaborativa
5 plataformas de financiamento coletivo que ajudam a tirar ideias do papel

Prato feito
No segmento de delivery de comida, destaca-se a startup LocalChef, que lançou uma plataforma que conecta pessoas interessadas em comidas caseiras a uma rede de cozinheiros autônomos que preparam seus próprios pratos. Para os chefs, a ferramenta ajuda a divulgar seu trabalho sem que ele dependa de um estabelecimento comercial fixo. Do lado do consumidor, a solução é uma alternativa conveniente para quem dá preferência para uma comida mais saudável.

Entrega a jato
A Eu Entrego traz o conceito de economia colaborativa para o setor logístico, a partir de um aplicativo para Android e iOS que conecta usuários e empresas à uma comunidade de entregadores independentes que levam qualquer tipo de encomenda de onde estiverem. O colaborador não precisa ter um veículo particular, uma vez que o trabalho pode ser feito com transporte público, de bicicleta ou até mesmo a pé. O app é uma alternativa rápida, eficaz e de baixo custo para um dos setores mais estratégicos da economia.

Nerd on demand
De olho na necessidade que o homem moderno tem por suporte técnico 24 horas para resolver problemas urgentes com seu computador pessoal e smartphone, o nerd2.me inventou uma solução que conecta usuários que precisam de ajuda a quem realmente entende do assunto. Dentro da lógica “uberizada” da economia, não é necessário ter formação para fazer parte do time de profissionais da plataforma colaborativa. Basta ter expertise no assunto, entender as solicitações e ser maior de 18 anos.

Big Brother solidário
A Tecvoz, empresa que atua no mercado de monitoramento e segurança eletrônica, lançou o projeto de franquias Vigilância Solidária, que permite que moradores de um mesmo bairro acessem remotamente as imagens do sistema de câmeras instalado nas ruas. O modelo de vigilância compartilhada só é possível por conta de uma plataforma que permite reproduzir as imagens de qualquer dispositivo com conexão à internet, além de armazená-las na nuvem. Pela tecnologia, o cidadão pode vigiar sua casa à distância e acionar as autoridades em apenas um toque.

Dentro da validade
Economia colaborativa e e-commerce dão um belo casamento. Pensando nisso, a NDays lançou uma plataforma que funciona como uma loja online de mercadorias com data de vencimento ou prazo de utilização próximos do fim. Pela ferramenta, supermercados, farmácias e lojas de conveniência realizam uma verdadeira “queima de estoque” em tempo real, enquanto os consumidores se beneficiam dos preços baixos de produtos para consumo imediato.

Guarda compartilhada
Até o universo dos pets entrou na moda da economia colaborativa. A Holipet coloca à disposição dos usuários uma rede de prestadores de serviço autônomos que se oferecem como cuidadores ou passeadores dos animais. Enquanto o dono do bichinho de estimação economiza despesas e organiza melhor sua rotina, os colaboradores usam essa oportunidade de negócio como fonte de renda extra, além de, claro, aproveitarem para fazer novos amigos. Está disponível para Android, além de contar com uma versão web.

Se você tem alguma dúvida sobre tecnologia, escreva para [email protected] e suas questões podem ser respondidas

Menu