Rede Wi-Fi pública: quais os riscos e como se proteger Rede Wi-Fi pública: quais os riscos e como se proteger

Utilizar a internet se tornou parte do dia a dia da população, mas se conectar a redes públicas pode trazer algumas consequências. Pensando nisso, a empresa de segurança ESET compartilha pontos importantes a serem observados quando se trata de redes Wi-Fi públicas.

Leia mais
Wi-Fi lento: veja o que interfere na internet e como resolver os problemas mais comuns
Não gaste o 3G: conheça aplicativos que oferecem senhas e redes Wi-Fi próximas a você
Conheça truques que prometem melhorar o alcance do Wi-Fi

1. Tome cuidado com o que você faz após se conectar

Os cibercriminosos podem interceptar informações trocadas em redes públicas. Por isso, é recomendável não acessar serviços de homebanking, contas de e-mail, redes sociais e outros aplicativos que exijam nome de usuário e senha para estabelecer a conexão. Se for de extrema urgência acessar dados confidenciais, é preferível usar dados móveis (conexão 4G) ou uma VPN.

2. Sempre atualizar sistema operacional e aplicativos

É essencial manter o sistema operacional e os aplicativos sempre atualizados. Isso porque as novidades podem conter correções de segurança lançadas pelos fabricantes que protegem o equipamento. Além disso, ter uma solução antivírus instalada em computadores, laptops e celulares, é essencial para sua proteção.

3. Só acessar sites que utilizem o protocolo HTTPS

O protocolo HTTPS garante que as informações transmitidas entre o computador do usuário e o site sejam criptografadas na transmissão. Essa precaução serve igualmente tanto para dispositivos móveis como para qualquer dispositivo desktop.

4. Configurar seu dispositivo para não se conectar automaticamente

Para evitar que seu aparelho se conecte automaticamente e exponha suas informações, a ESET recomenda alterar a opção nas configurações de Wi-Fi. Dessa maneira, qualquer conexão deve ser liberada pelo usuário.

5. Utilizar duplo fator de autenticação

Nunca é demais ter uma camada extra de segurança como a fornecida pelo duplo fator de autenticação. A maioria dos serviços tem a possibilidade de configurar o acesso ao site para que, após a senha, seja necessário inserir um código adicional, que será enviado ao telefone por SMS, e-mail, aplicativo ou chamada, pedindo uma confirmação de que é o titular da conta que está realizando o acesso.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Na galeria, conheça 15 hackers famosos e suas façanhas:

 
 
<
>
Menu