Tags

Dicas

Phishing: como não cair em golpes com criptomoedas

10 março, 2020
Da Redação, com assessoria

O fato das criptomoedas serem uma espécie de dinheiro virtual faz com que as pessoas fiquem com o pé atrás na hora de investir. Entretanto, o mercado foi considerado um dos mais rentáveis em 2019, sendo que certificações e medidas de segurança fizeram com que as transações ocorressem em um ambiente confiável.

Ainda assim, alguns golpes recentes têm deixado os investidores receosos. Para Daniel Coquieri, COO da BitcoinTrade, corretora especializada no mercado brasileiro, é possível fugir desse tipo de ataque. “Há alguns aspectos que podem ser levados em conta e alguns detalhes que, se o investidor prestar atenção, consegue fugir desses golpes, como o e-mail de origem e o fato de que as exchanges não costumam pedir dados pessoais por mensagem”, explica.

Leia mais:
Quando começar a investir em criptomoedas?
Como encontrar a corretora ideal para investir em criptomoedas
Conheça os 6 maiores mitos sobre Bitcoin

Phishing vem do termo em inglês que remete a ação de pescar. A ideia dos autores dos golpes é justamente “pescar” dados e informações sigilosas dos usuários, no caso dos investidores de criptomoedas. O ataque pode acontecer de diferentes formas. Por isso, é bom estar atento a cada movimentação. “O golpe pode vir por conversas falsas, e-mails que pedem para clicar em algum link ou até páginas falsas construídas apenas para esse tipo de ação”, comenta o executivo.

Para não cair nesse tipo de ação, o importante é ficar esperto com os links que recebe por e-mail. Cheque que tipo de informação está sendo solicitada e se é necessário realizar algum tipo de login. Além disso, observar a forma como a mensagem foi redigida pode parecer um ato simples, mas é essencial, já que esse tipo de golpe costuma conter erros e são mal escritos.

Outro ponto é manter em mente que corretoras jamais vão pedir dados e senhas por mensagens ou e-mail. “Muitas vezes, ao ver o nome da empresa, o consumidor entende que está tudo bem se passar certas informações. Vale ressaltar que essa é uma prática não comum a companhias sérias do mercado”, reforça Daniel.

Assim como as pessoas vão se atentando mais aos possíveis golpes, os hackers também evoluem em suas iniciativas. Por isso, manter-se bem informado sobre o que está acontecendo no mercado e nunca informar os dados para ninguém são dicas de ouro. “Tão importante quanto a segurança e robustez da exchange, é a forma como os clientes cuidam das suas próprias informações de segurança”, finaliza o COO da BitcoinTrade.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Na galeria, aproveite e confira casos inusitados envolvendo criptomoedas:

Informativo

Cadastre-se e receba com exclusividade nossos conteúdo.