Tags

Notícias

Perder fotos digitais é considerado mais angustiante do que sofrer acidente de carro, diz pesquisa

Créditos: Visualhunt.com
24 abril, 2017
Da Redação, com assessoria

As recordações digitais ocupam um lugar especial em nossos corações. Principalmente as fotografias, que são consideradas por muitos como seu bem mais precioso. Pelo menos foi o que apontou um estudo feito pela Kaspersky Lab. As imagens virtuais são insubstituíveis, segundo 49% dos entrevistados. A ideia de perder essas lembranças é considerada mais penosa do que a possibilidade de um acidente de carro, o rompimento com um parceiro ou uma briga com um amigo ou familiar.

Leia mais
Cuidado! Teste do Facebook solicita informações pessoais para mostrar com qual famoso você se parece
Aplicativo te ajuda a enviar fotos para revelação diretamente do smartphone
Redes sociais prejudicam relacionamento com amigos e familiares, diz estudo

De acordo com a Kaspersky Lab, mais de dois quintos dos entrevistados disseram que não conseguiriam substituir as fotos e os vídeos de suas viagens (45%), seus filhos (44%) ou de si mesmos (40%). A pesquisa mostra que a ideia de perder essas lembranças é considerada muito angustiante pela maioria das pessoas. Segundo o estudo, as pessoas valorizam seus dispositivos e suas fotos mais do que seus parceiros, amigos e animais de estimação.

Ao perguntar sobre o nível de angústia que sentiriam em diversas situações, a doença de um familiar ficou em primeiro lugar como incidente mais angustiante. A segunda colocação ficou com a perda ou roubo de um dispositivo. A perda de fotos digitais fecha o pódio. Tal classificação deixou para trás incidentes como acidente de carro, rompimento com um parceiro, dia ruim no trabalho, brigas com familiares e amigos e até, em alguns casos, a doença de um animal de estimação.

Com a crescente proliferação dos perigos online que se escondem dos usuários diários, a chance de perda de dados armazenados em dispositivos digitais é alta. Este risco aumenta ainda mais quando se considera que apenas 46% dos usuários protegem seus dispositivos com uma senha e solução de segurança robusta, deixando mais da metade dos smartphones vulneráveis no mundo.

Para ajudar a proteger os dados armazenados em dispositivos, a Kaspersky Lab oferece aos usuários três dicas:

1. Proteja o seu dispositivo com uma senha ou outro método, como reconhecimento de impressões digitais. Lembre-se que as combinações irão proporcionar uma proteção eficaz apenas se tiverem a complexidade necessária e se forem conhecidos apenas para o usuário daquele dispositivo.

2. Certifique-se de fazer backup de seus arquivos regularmente. É importante criar dois: um armazenado na nuvem (Dropbox, Google Drive) e outro em um dispositivo físico (disco rígido portátil, USB, outro PC). Lembre-se de definir certas restrições nos arquivos, por exemplo, seu dispositivo para o “plano B” só deve ter permissão para leitura e gravação, sem a opção de editar ou apagar.

3. Não carregue seu dispositivo móvel usando uma porta USB conectado a um computador, a menos que seja de confiança. Isso porque ela pode estar infectada com malware especial instalado no PC. A melhor coisa a fazer é ligar o telefone diretamente para o adaptador de energia.

Se você tem alguma dúvida sobre tecnologia, escreva para 33giga@33giga.com.br e suas questões podem ser respondidas

Newsletter

Receba com exclusividade nossos conteúdos e o e-book sobre segurança na internet.