Banido do Facebook, MBL vai usar o Telegram; saiba como funciona o mensageiro alternativo Banido do Facebook, MBL vai usar o Telegram; saiba como funciona o mensageiro alternativo

Esta semana, o Facebook anunciou a remoção de 196 páginas e 87 perfis ligados à política na rede social. Nesse processo, várias páginas relacionadas ao Movimento Brasil Livre (MBL) — conhecido pela participação no impeachment de Dilma Rousseff (PT) — foram desativadas. Em nota oficial, o Facebook  justificou a decisão com o argumento de que as contas violavam as políticas de autenticidade da plataforma.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

De acordo com a rede social, as páginas e perfis desativados faziam parte de uma “rede coordenada que se ocultava com o uso de contas falsas no Facebook, e escondia das pessoas a natureza e a origem de seu conteúdo com o propósito de gerar divisão e espalhar desinformação”. A nota também afirma que a decisão está atrelada aos esforços da rede em “identificar e agir contra pessoas mal intencionadas que violam os padrões da comunidade”.

Após a desativação das páginas e perfil ligados ao movimento, o MBL decidiu começar a usar o aplicativo de mensagens russo Telegram para se comunicar e divulgar comunicados. Considerado uma alternativa ao WhatsApp, que pertence ao Facebook, a escolha se deu pela falta de confiança do movimento na empresa de Mark Zuckerberg.

Alternativa russa

Com uma interface basicona e intuitiva, o Telegram é um dos principais concorrentes do WhatsApp — prova disso é que todo mundo corre para lá quando o zap fica fora do ar. Gratuito, de código aberto e sem bugs perceptíveis, o app oferece opção de chat secreto, chamada de áudio e versão web.

Os chats secretos do serviço permitem que as pessoas conversem com segurança na criptografia de ponta a ponta. O mais legal (e que o WhatsApp não tem) é a função de autodestruição. Nela, é possível programar um tempo de um segundo a uma semana para que o bate-papo seja totalmente destruído.

O app também permite o bate-papo em grupos com até 100.000 pessoas (imagina a bagunça) e permite a troca de imagens, vídeos, músicas, arquivos, localizações e contatos. As conversas podem ficar ainda mais animadas com os stickers, que vão muito além dos emojis e trazem caricaturas divertidíssimas de personalidades como Bob Marley, Cleópatra e Princesa Diana.  O mensageiro está disponível para Android e iOS.

Se você trabalha ou estuda no computador o dia inteiro, ainda dá para contar com a versão web do Telegram. Por lá, é possível utilizar praticamente todos os recursos disponíveis no app, com exceção do recurso de timer para autodestruir as conversas.

Leia mais: 
WhatsApp fora do ar? Confira 5 alternativas ao aplicativo
Ficou no Telegram? Aprenda a criar stickers e enviar a seus amigos

Na galeria a seguir, você ainda confere e relembra a história e o desenvolvimento de alguns dos principais mensageiros da internet:

 
 
<
>
Menu