Photo by Andre Francois on Unsplash
Mais de 5 milhões de usuários foram atacados por mineradores de criptomoeda em 2018 Mais de 5 milhões de usuários foram atacados por mineradores de criptomoeda em 2018

Este ano, houve um surto global de mineração mal-intencionada de criptomoeda. O fato resultou em um aumento de mais de 83% no número de ataques, com mais de 5 milhões de usuários afetados nos primeiros nove meses do ano. No mesmo período de 2017, esse número foi de 2,7 milhões, de acordo com a Kaspersky Lab.

A empresa de segurança explica que o principal vetor de infeção que possibilitou o surto foi a instalação e o uso de software e conteúdos não licenciados. O número de internautas vítimas de malware para mineração de criptomoeda aumentou durante o primeiro semestre do ano, chegando a um pico em março, com cerca de 1,2 milhão de usuários atacados por mês.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Os especialistas da Kaspersky Lab investigaram o panorama econômico relacionado a esta tendência e descobriu o que promoveu a distribuição global desta ameaça. Foram analisados o cenário regulatório, os preços da energia elétrica nos dez principais países atacados por mineradores de criptomoedas e os principais vetores de infecção das famílias de malware mais populares.

O resultado mostrou que nem a legislação vigente e nem o custo da energia tiveram impacto significativo sobre a disseminação deste malware. No entanto, a investigação das famílias de malware revelou que os dispositivos eram infectados principalmente induzindo os usuários a instalar software pirata e conteúdo não licenciado.

“A correlação é clara: quanto mais fácil é distribuir software não licenciado, mais incidentes de malware para mineração de criptomoedas foram detectados. Resumindo, atividades que normalmente não são consideradas perigosas, como o download e a instalação de software questionável, sustenta o que, possivelmente, é a maior história de ciberameaça deste ano: o crescimento da mineração mal-intencionada de criptomoedas”, afirma Evgeny Lopatin, especialista em segurança da Kaspersky Lab.

Outros resultados

• O número total de usuários que foram vítimas de mineradores aumentou mais de 83%, de 2.726.491 em 2017 para 5.001.414 em 2018.
• O percentual de mineradores detectados em relação ao número total de ameaças detectadas também aumentou de quase 5% em 2017 para 8% em 2018.
• O percentual de mineradores detectados em relação ao total de detecções de software indesejáveis também está aumentando: de 9% em 2017 para 17% em 2018.
•  O número total de usuários que foram vítimas de mineradores em dispositivos móveis também aumentou mais de cinco vezes, de 1.986 em 2017 para 10.242 em 2018.

Leia mais: 
8 dicas de segurança para quem quer investir em criptomoedas
Dilema de segurança: senha fraca, mas fácil de lembrar, ou elaborada, mas fácil de esquecer?

Confira todos os dispositivos testados pelo 33Giga:

 
 
  • JBL Tune 110 BT. O teste completo você vê em http://tinyurl.com/yb6ecbmf
  • Sony_Xperia XZ2_Preto
  • Fone JBL T450BT. O teste completo em https://wp.me/p7AVMp-eKM
  • Testamos: por R$ 330, caixa de som Pulse é resistente à água e dura mais de cinco horas
<
>
Menu