Tags

Dicas

Girl Power: mulheres quebram tabu e conquistam espaço no mercado gamer

14 julho, 2016
Da Redação, com assessoria

Se dedicar a uma carreira de atleta profissional de esportes eletrônicos não é tarefa fácil, pois o segmento ainda é regado por muitos rótulos e preconceitos. Mas essa rotina pode ser ainda mais desafiadora quando se é mulher. Além de lidar com a desconfiança de quem não conhece o setor, elas ainda precisam enfrentar a opinião nada agradável de alguns colegas de profissão e público em geral.

Se você tem alguma dúvida sobre tecnologia, escreva para 33giga@33giga.com.br e suas questões podem ser respondidas

Mesmo em meio a obstáculos, as moças têm provado sua força no setor. De acordo com uma pesquisa recente feita pela Game Brasil, 52,6% dos usuários brasileiros que jogam algum game são mulheres. E foi justamente para retratar a conquista feminina no mercado profissional de games que nasceu o terceiro e último episódio da Websérie “Eu Sou Gamer”, produzida pela AOC. No capítulo Game é Coisa de Mulher, CherryGumms, líder do time Black Dragons, e Paola Buzzone, YouTuber que produz gameplays, contam como é a rotina e quais os desafios que as mulheres precisam superar para alcançar o sucesso no mundo dos jogos.

Paola Buzzone conta que a pressão faz com que muitas mulheres abandonem a carreira antes mesmo de chegarem a um nível de reconhecimento no mercado. “Eu conheço várias meninas que começaram na minha época e tinham tanto potencial quanto eu, mas desistiram por causa do preconceito e dos xingamentos”, diz. A YouTuber, famosa por seus gameplays de League of Legends, ainda garante que os caras pegam pesado, inclusive costumam usar clichês machistas para tentar ofendê-la.

Mesmo em meio a esse cenário tenso e opressor, CherryGumms não desistiu, e aos 19 anos disputa campeonatos nacionais e internacionais de jogos de tiro em primeira pessoa (FPS). Hoje, ela incentiva outras garotas a seguirem pelo mesmo caminho apesar do público predominantemente masculino. “Eu nunca quis entrar para o mundo dos jogos por brincadeira, sempre quis ser uma profissional”, completa a atleta.

Abaixo você confere os três vídeos completos da Websérie “Eu Sou Gamer”:

“Uma profissão nível hard”, por Kamikat

“Por trás dos cliques”, por Paada e MiT

“Game é coisa de mulher”, por CherryGumms e Paola Buzzone

Newsletter

Receba com exclusividade nossos conteúdos e o e-book sobre segurança na internet.