Tags

Negócios

Especialista dá dicas de desempenho para mulheres empreendedoras

28 julho, 2017
Da Redação, com assessoria

O mundo cibernético tem apresentado aumento de interesse entre as meninas adolescentes, mas o número de mulheres em empresas de desenvolvimento de novas tecnologias ainda é bem inferior ao de homens. Mas o público feminino tem ciência do potencial desse segmento para a sua atuação profissional. Para fomentar ainda mais o assunto, a pesquisa Dell “We Cities” Index mostrou que quando não há restrições para o empreendedorismo feminino, há um expressivo aumento nas perspectivas econômicas de uma cidade.

Leia mais: Inspiração: quatro empreendedoras de sucesso para seguir nas redes

A diretora geral da It Line Technology, Sylvia Cristine Bellio, há anos tem desenvolvido um trabalho para fortalecer a participação das mulheres no segmento onde atua e disponibiliza conhecimento e tecnologias para executivas que comandam empresas de todos os tamanhos ou dirigem setores de negócios.

As áreas de gestão e de TI apresentam peculiaridades que precisam ser compreendidas pelas empresárias e executivas. Por isso, é importante colocar em pauta temas ligados as áreas de RH, segurança, e transformação digital. Diante deste cenário, Sylvia Bellio elencou alguns fatores importantes que contribuem para o desenvolvimento das gestoras de TI.

1-    É preciso entender intensamente o negócio
 Sylvia preconiza que uma empreendedora ou executiva precisa principalmente conhecer bem sua empresa, entender profundamente seus números, calcular quanto vai crescer e como atingirá os resultados. Além disso, para conseguir investimentos internacionais é essencial falar inglês fluente para poder apresentar o negócio, como também entender os benefícios e exigências. “Uma dica muito importante: sempre fale sobre números primeiro. É importante saber responder as seguintes perguntas: Por que você? Por que sua empresa?”, aconselha ela.

2-    A visão externa é muito importante para tomar decisões mais complexas
A empresária sugere para as gestoras de seus empreendimentos a criação do conselho consultivo. No entender de Sylvia, o órgão pode ser muitas vezes a abertura de portas para novos negócios, uma grande oportunidade de conhecer melhor a própria empresa e deixar a empreendedora mais capacitada, porque exige estudos e preparo para responder aos conselheiros. “Dependendo do tamanho da empresa muitas vezes é melhor buscar uma pessoa especializada para ajudar a direcionar suas ideias e abrir a mente para solucionar problemas”, complementa.

3-    Na transformação digital, os dilemas são constantes e as alternativas são diversas
O mundo passa por uma transformação digital, e por isso a diretora geral da It Line frisa que toda e qualquer empresa precisa se manter sempre atualizada. “Algumas decisões são essenciais para a movimentação da empresa e as empreendedoras devem sempre buscar consultoria para ajudar a entender como fazer suas escolhas diante de tanta inovação existente no mercado”, descreve.

4-    Os Recursos Humanos são peça chave, mas apresentam muitas dificuldades que precisam ser analisadas
No que tange o RH, ela destaca a dificuldade das empresas em manter seus profissionais, como deixá-los motivados e de que forma competir com grandes companhias. Uma questão que tem lhe intrigado é como medir produtividade dos funcionários em home-office. A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) também dedica um capítulo inteiro de medidas protetivas ao trabalho feminino e a Constituição assegura a paridade salarial das mulheres, além de outros benefícios em virtude da maternidade. “Não podemos deixar de nos preocupar com a dignidade do trabalho feminino, mesmo porque ela cumpre dupla jornada e acaba sendo o centro natural da família”, interpreta Sylvia.

5-    A sensibilidade feminina pode ajudar nas escolhas, recursos e alternativas possíveis
A maior parte das empresárias e empreendedoras antenadas usa tecnologias inovadoras para alcançar clientes e utilizar dados de forma sem precedentes. “Como tem sido defendido pela Dell, as mulheres, especialmente por sua sensibilidade, entendem que não é a tecnologia em si que é importante, mas quais conexões, soluções e mudanças que se podem fazer”, expõe.

6-    As mulheres unidas vencerão, porque trocarão mais informações e conhecimentos
Por intermédio da Dell Women’s Entrepreneur Network, tem havido uma conexão de empresárias em todo o mundo com redes, fontes de capital, conhecimento e tecnologia, que oferecem mais condições para se produzir ainda mais. O evento tem proporcionado anualmente o crescimento de uma rede internacional com centenas de mulheres empresárias que se conectam ao longo do ano para compartilhar seus conhecimentos e apoiar suas colegas no maior desenvolvimento do negócio e nos seus planos de expansão.

Informativo

Cadastre-se e receba com exclusividade nossos conteúdo.