Photo by Tyler Franta on Unsplash
Domínio da tecnologia é essencial para advogado se manter no mercado Domínio da tecnologia é essencial para advogado se manter no mercado

A imagem tradicional do advogado é de um profissional de terno e gravata, pasta debaixo do braço e pilhas de papel à sua volta. Mas, esse perfil está em transição, principalmente, porque a própria sociedade e a maneira como se organiza e funciona estão mudando. Os especialistas do Direito precisam se adaptar à nova realidade.

Leia mais: 5 aplicativos que ajudam administrar a rotina no ambiente de trabalho
Conheça ferramentas que prometem otimizar a rotina de trabalho

Nesse cenário, a tecnologia ocupa papel de destaque. Por isso, se o advogado quer se manter no mercado, precisa ter o mínimo de domínio acerca dos atuais dispositivos e ferramentas digitais. O que era um diferencial, passou a ser pré-requisito.

Os novos profissionais que saem da faculdade pertencem à geração que tem como característica primária a afinidade com tecnologia. Nos escritórios, a necessidade de modernizar a rotina é uma tendência que cresce. Resistir pode significar perder espaço frente à concorrência.

Seguem alguns pontos relacionados às ferramentas e habilidades da era digital que não podem mais ser evitados e são mais simples do que parecem.

Tecnologia no cotidiano

Ainda que muitos procedimentos do ramo jurídico continuem a operar de maneira analógica, a tendência é que, cada vez mais, tudo se torne digital e com a opção de ser controlado e realizado remotamente.

Algumas ferramentas já estão tão naturalizadas, que podem pegar de surpresa ambientes que ainda não as adotaram no dia-a-dia. Realizar reuniões por videoconferência, evitando deslocamentos desnecessários e custos com viagens, por exemplo, é prática comum em muitas áreas.

No ramo do Direito, especificamente, há sites que permitem contratar advogados correspondentes, visando agilizar o cumprimento de diligências em lugares onde não há base do escritório. Mais uma maneira de otimizar tempo e a atuação das equipes nas demandas.

Além disso, há serviços de assinatura digital, que evitam o vaivém de documentos como procurações; e aplicativos para o armazenamento de conteúdo em nuvem, que permitem acessar os arquivos de qualquer dispositivo e lugar.

Para acompanhar as exigências de uma realidade cada vez mais ágil, em tempo real, é preciso não somente se familiarizar com o uso dessas ferramentas, mas também estar atento sobre quais podem enriquecer o trabalho.

Eficiência na gestão do escritório

Há tecnologias que permitem modernizar de maneira geral a rotina dos escritórios. Um software para escritórios de advocacia, como o da Aurum, oferece recursos específicos para a gestão integrada e eficiente das diversas atividades da área.

Controlar agenda, monitorar prazos, atualizar status dos processos em andamento, enviar informações aos clientes e delegar tarefas são algumas das opções que podem ser gerenciadas automaticamente. Além de melhor organizar o escritório, a tecnologia agrega produtividade e contribui para a menor incidência de erros no trabalho.

Além de serem intuitivos, para que qualquer pessoa consiga utilizá-los sem grandes dificuldades, softwares para advogados como o Astrea, da Aurum, contemplam material de apoio e suporte técnico aos usuários.

Marketing Digital como aliado

Se a ideia é usar a internet e adotar o Marketing Digital para divulgar o escritório, é importante entender o funcionamento básico das suas estratégias e das redes sociais.

Saber do que se trata a tática de SEO e a relevância de ter um site, conhecer a lógica de uma campanha automatizada de e-mail marketing, entender como a produção de conteúdo pode ser útil.

É necessário contar com profissionais especializados para realizarem tais ações, mas o mínimo de conhecimento permite participar e avaliar adequadamente a qualidade do serviço contratado.

Novas práticas do Direito

Novas áreas do Direito surgem diretamente relacionadas às demandas decorrentes do avanço tecnológico. A prática de atos de discriminação nas redes sociais e a violação da privacidade de dados de usuários são apenas alguns exemplos. O advogado precisa compreender a dinâmica dos dispositivos que estão por trás dessas questões para atuar sobre elas.

Outra área crescente é o Direito para startups – empresas com modelos de negócio inovadores, frequentemente associados à criação de tecnologias, como Uber e Netflix.

A vertente jurídica busca repensar as ferramentas legais para atender às necessidades únicas desses negócios. Como não existem respostas consolidadas, o ramo pede criatividade e curiosidade para acompanhar as novidades que surgem a todo o momento.

A área tem tanto potencial que grandes instituições de ensino, como FGV e Insper, já oferecem cursos voltados a ela.

Como melhorar o domínio da tecnologia

Anos atrás, quem queria ter “domínio tecnológico” precisava fazer cursos de informática, o que muitas vezes se resumia a aprender a usar programas como Word e Excel.

Com tanta tecnologia à volta, atualmente é preciso ser proativo e autodidata no aprendizado. Paralelamente à necessidade de aprender, há uma quantidade imensa de informação disponível na internet. Uma busca no Google é um ótimo ponto de partida.

Para os assuntos mais específicos e avançados, apostar em uma forma tradicional de aprendizado ainda é necessário. Por exemplo, o advogado que deseja trabalhar em processos relacionados ao mercado financeiro de criptomoedas precisará buscar cursos e eventos sobre blockchain.

Ao se depararem com tantas possibilidades, os profissionais mais resistentes tendem a se sentir inseguros a aderir às novas ferramentas e temas da área, no entanto, a experiência costuma ser mais simples do que se imagina. Basta começar.

Menu