Csanmek: Conheça o simulador brasileiro que substitui cadáveres

Csanmek: Conheça o simulador brasileiro que substitui cadáveres

Da Redação
Do 33Giga

24/08/2018 | 14:08


Atualizada às 14h42

Csanmek é uma plataforma de simulação cirúrgica e dissecação virtual, desenvolvida pela startup brasileira homônima. Ela tem ganhado mercados internacionais nos últimos meses. Com contratos firmados em faculdades de medicina (humana e veterinária) em seis países, a empresa passa a fabricar e comercializar na Europa, Estados Unidos e Ásia, além da própria América do Sul.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga.

A rápida internacionalização da Csanmek se deu, sobretudo, pelo fato da plataforma ser o principal método alternativo ao uso de cadáveres em aulas de anatomia, à medida que segue a tendência mundial de trocar corpos humanos por plataformas digitais de dissecação virtual em cursos de medicina e veterinária.

Há três anos no Brasil, o equipamento é utilizado em 50 cursos de medicina e medicinaunnamed veterinária para treinamento de cirurgias virtuais. Funciona como uma mesa que exibe modelos tridimensionais altamente detalhados e anatomicamente corretos de todos os sistemas do corpo humano.

A plataforma pode custar entre R$ 200 mil e R$ 400 mil e oferece aos alunos a possibilidade de estudar casos clínicos e exames reais de pacientes, à medida em que converte tomografias e ressonâncias magnéticas em clones virtuais (3D), com acesso total e irrestrito a anatomia real.

Leia mais
Tabelão de celulares: confira todos os modelos vendidos no Brasil
Álbum: relembre videogames que marcaram a história
Confira a incrível evolução dos computadores

Também utiliza algumas linhas de atlas anatômicos e fisiológicos, com mais de 5 mil estruturas anatômicas identificas, incluindo todos os órgãos e sistemas do corpo masculino e feminino, e pode ser usada em cursos de medicina, veterinária e demais áreas da saúde.

Entre as instituições brasileiras que possuem a tecnologia estão Faculdade das Américas (FAM), a Universidade de de São Caetano do Sul (USCS), A Uninove (5 unidades em SP), a São Leopoldo Mandic (RJ), uma das principais faculdades de medicina do Brasil, a Universidade Guanambi, na Bahia, e a Faculdade Claretiano, entre outras.

Segundo o fundador da Csanmek, Claudio Santana, a solução foi desenvolvida por uma equipe amplamente qualificada, com décadas de experiência em diagnósticos e imagens médicas. “Apesar de ser um equipamento para educação, a plataforma 3D também é utilizada por médicos e profissionais da saúde no dia a dia, para melhorar o aprendizado e compreensão das estruturas anatômicas reais e modeladas.”