Tags

Dicas

Dúvida do leitor: como usar internet do celular para trabalhar?

Créditos: Photo on Visual hunt

O leitor Scott entrou em contato com o 33Giga com uma dúvida bastante comum em tempos de pandemia. “Existe um jeito faceiro de criar uma internet no lugar onde eu estiver? Faço isso somente roteando o celular ou há outro modo?”

Em outras palavras, ele gostaria de saber como usar internet móvel para trabalhar em seu notebook. A ideia é se livrar das amarras da internet fixa e ficar somente com o plano de dados.

Embora o próprio Scott tenha respondido à dúvida – rotear o sinal do smartphone é a coisa mais óbvia, ao lado de optar por um modem 4G –, há diversos pontos a se analisar nessa questão. Mesmo porque o leitor gostaria de “usar essa internet para trabalhar”. Ele não sabe se é possível com um plano de dados.

Como para essa resposta não existem sim ou não definitivos, é necessário analisar diversos cenários e, mais do que isso, entender algumas definições. Para ficar mais fácil compreender, o ideal será fazer um paralelo entre plano de internet móvel com o fixo.

Leia mais:
Saiba como escolher o melhor plano de internet fixa para sua casa
Brasil registra 30% de aumento no tráfego de internet durante pandemia; entenda
Dicas para potencializar seu Wi-Fi em casa e evitar sobrecarga

Quando o assunto é banda larga fixa, as pessoas tendem comparar o provedor (Claro Net, Vivo Fibra, entre outros) e velocidade de transferência de dados (normalmente, medida MBs – velocidade de transferência de Megabyte por segundo; quanto maior o número, mais ligeira é, pelo menos em tese, a internet). Óbvio que preço entra nessa questão – mas aí vai variar de acordo com o bolso de cada um.

No plano móvel, o primeiro item a avaliar é o sinal da operadora no lugar em que você está. Vivo e Claro costumam funcionar bem em boa parte do País. TIM e Oi tem mais restrições. Então, antes de optar por um ou outro, é importante testar no local que será usado qual é a melhor cobertura e sinal.

Se uma rede for muito melhor do que outra, não há o que pensar. Opte por ela. Supondo que os serviços empatem, é hora de ir além.

Em um plano de dados de conexão móvel – diferentemente da fixa, que varia mormente entre plataformas como fibra e cabo para levar a internet –, a tecnologia é cunhada como um número e a letra G. 3G, por exemplo, é terceira geração de padrões e tecnologias de telefonia móvel (ela substituiu o 2G).

A mais avançada e rápida no Brasil é a 4.5G (que é um puxadinho da 4G, na verdade). Em testes, ao redor do mundo, está a 5G. Bom, nesse caso, o usuário deve optar pelo plano com o número maior (é importante que o celular também dê suporte a ela. Cheque isso antes de fechar o pacote).

A velocidade do 4.5G varia de acordo com o local, a cobertura, o aparelho. Em tese, pode chegar a até 400 MBs. Em testes realizados pelo 33Giga, em diferentes momentos, operadoras e smartphones avaliados, 80 MBs para download e 20 MBs para upload é um valor médio em locais com bom sinal. Nessa taxa, o usuário consegue transferir arquivos comuns (como de pacotes de escritório, texto, planilhas) ou consumir multimídia (vídeos do YouTube ou algo do Spotify) sem travamentos.

Entretanto, os planos de internet móvel também são disponibilizados pela quantidade de dados que o usuário irá consumir. Se você envia um e-mail, aquilo “gasta” alguns dados. Se baixa uma planilha de algum drive, idem. Esse vai e vem de arquivos e informações são somadas a cada mês.

Quando o usuário bate o teto das transferências de dados contratados, a operadora diminui drasticamente a velocidade da internet. Ela também costuma oferecer dados extra, por um valor a mais. Com isso, a velocidade é restabelecida. Esses dados são medidos em MB ou em GB. Quanto mais MB, melhor. E, mais ainda, quanto melhor GB (que equivale a 1.000 MB).

Claro que quanto mais espaço para consumo, mais caro fica o plano de dados. Nesse ponto, então, chega-se a duas dicas importantes. A primeira: opte pelo que cabe em seu orçamento. Se você vai trabalhar e não quer ficar na mão, faça alguns testes com app específicos sobre consumo de dados. Acesse as principais ferramentas do seu dia a dia, transfira arquivos.

As principais operadoras de telefonia mantém os seus oficiais nas lojas de aplicativos e muitos smartphones tem suas opções padrão. Mas, se quiser alternativas, para o Android é indicado o Consumo Internet – Neo Data.

Feita a análise e descobrindo o quanto você utilizaria de dados em um mês (são muitas opções, com 4GB, 8GB, 14GB), é importante analisar diferentes planos de diversas operadoras. As principais costumam dar regalias para alguns usos específicos.

Por exemplo, boa parte delas, de acordo com o plano e a fidelidade, não “contabiliza” o uso do WhatsApp (assim, você pode realizar conferências, enviar arquivos e receber por esse app sem qualquer limitação). Outras, oferecem “o dobro” do espaço que você comprou para utilizar apps sociais – Facebook, YouTube, Netflix e Spotify, vira e mexe são alguns dos agraciados.

Feito tudo isso, basta colocar na balança e escolher o que melhor se adequa ao seu bolso e aos seus propósitos. Com o plano comprado ou atualizado (muitas operadoras permitem que isso seja feito pelo próprio aplicativo), basta rotear seu smartphone, ligar o computador e começa a trabalhar.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Está em home office? Veja sugestões de cadeiras e mesas para dar um up no escritório doméstico:

Newsletter

Receba com exclusividade nossos conteúdos e o e-book sobre segurança na internet.