Como a pornografia ajudou desenvolver novas tecnologias Como a pornografia ajudou desenvolver novas tecnologias

Pode até parecer estranho, mas parte da internet que conhecemos hoje é fruto da pornografia. Se você já comprou algo online ou assistiu a uma série na Netflix, saiba que deveria agradecer ao pessoal da indústria pornográfica. Eles também foram responsáveis pela possibilidade de assistir a um DVD, Blu-ray ou VHS no conforto de casa.

Os produtores e distribuidores de filmes adultos foram pioneiros em testes de novas tecnologias. Inicialmente, muitas delas eram marginalizadas, mas depois se tornaram populares. Dentre elas, estão: streaming, pay-per-view, chamadas telefônicas pagas e até e-commerce.

Para entender melhor a relação entre o mercado de filmes adultos e o desenvolvimento de novas tecnologias, o 33Giga conversou com o canadense Patchen Barss, que é especialista no assunto. Ele é o autor do livro The Erotic Engine – How Pornography has Powered Mass Communication, from Gutenberg to Google (O Motor Erótico – Como a pornografia potencializou a comunicação em massa, de Gutenberg ao Google).

Leia mais
Facebook lança ferramenta que pretende impedir a revenge porn
Aprenda a denunciar publicações no Facebook, Twitter e Instagram
Crianças online: saiba como evitar que os pequenos assistam a vídeos impróprios no YouTube

Crédito: Divulgação
Patchen Barss 2
“A internet que nós conhecemos hoje foi conduzida e moldada pelo mercado pornográfico durante anos”, afirma Patchen Barss

33Giga: Por que podemos dizer que o mercado da pornografia ajudou a criar diversas tecnologias que usamos atualmente?
Patchen Barss: Os produtores e consumidores de pornografia, constantemente, são os primeiros a adotarem novas tecnologias. No começo da internet, a pornografia e o conteúdo erótico dominavam o fluxo e o armazenamento de dados. Quando o vídeo cassete apareceu, por exemplo, muita gente ainda estava completamente satisfeita em assistir a filmes nas telas grandes do cinema. Enquanto isso, os consumidores de pornografia, que se preocupavam mais com privacidade, estavam dispostos a investir nessa tecnologia.

33Giga: E em relação à internet?
PB: A pornografia motivou muita gente a entrar no mundo online quando a conexão à internet ainda não era tão acessível. Desta forma, o mercado pornográfico criou uma base de usuários que contribuiu para o crescimento da web como um todo. A pornografia também alavancou o desenvolvimento de tecnologias que hoje são peças importantes, como o e-commerce e o vídeo por streaming.

33Giga: Qual é a importância da relação entre o mercado pornográfico e as novas tecnologias?
PB: O mercado da pornografia tem uma influência grande quando as tecnologias novas estão naquele período antes delas rodarem sem bugs, e as pessoas ainda não se sentem confortáveis em usá-las. Basicamente, a indústria pornográfica refina uma tecnologia e constrói uma audiência ou base inicial de usuários para ela.

33Giga: A indústria pornô costuma ser a primeira a testar novas tecnologias. Você acredita que esse fato está relacionado com a possibilidade de poder cometer erros sem as grandes repercussões vistas em outros setores mais tradicionais?
PB: Eu não saberia dizer se esse fenômeno acontece só pela possibilidade de errar. O fato é que muitas das tecnologias são arriscadas em termos comerciais, difíceis e exigem tempo para darem certo. De alguma forma, a indústria pornográfica tem uma afinidade natural com as tecnologias emergentes que ainda estão marginalizadas.

33Giga: Como o mercado pornográfico contribuiu para a popularização do e-commerce?
PB: Antigamente, os consumidores de pornografia eram muito desconfiados. Por isso, as empresas precisaram criar tecnologias de e-commerce que os deixassem mais à vontade. Isso levou ao desenvolvimento de interfaces seguras, confiáveis e intuitivas que não iriam comprometer informações de cartões de crédito e nem expor os indivíduos. Todo esse trabalho acabou sendo aplicado no e-commerce moderno.

33Giga: E nos serviços de streaming?
PB: A primeira tecnologia de vídeos por streaming foi desenvolvida pelo mercado da pornografia quando a largura de banda era muito baixa e as conexões um tanto o quanto duvidosas. Inicialmente, as empresas tradicionais de mídia tiveram muita dificuldade em competir com essa nova tecnologia. Com isso, os sites pornográficos demonstraram como fazer o streaming funcionar e como ganhar dinheiro com ele.

​33Giga: Podemos dizer que os sites de pornografia tiveram um papel essencial para construir a internet que conhecemos hoje?
PB: Sim. Quando surgiu, a internet começou como uma iniciativa militar e depois se espalhou pelas universidades. Mas a internet que nós conhecemos hoje, que é comercial e multimídia, definitivamente foi conduzida e moldada pelo mercado pornográfico durante anos.

33Giga: O mercado pornográfico continua testando novas tecnologias?
PB: Não existe motivo para pensar que essa tendência vai mudar. Sempre irão existir tecnologias novas que deixam as pessoas desconfortáveis e criam resistência na hora do primeiro contato. São coisas que nós ainda não paramos para pensar muito, como realidade virtual e tecnologias táteis. Tudo isso me faz pensar que a indústria pornográfica vai continuar tendo muita influência no desenvolvimento de novas tecnologias e da própria web.

Confira algumas tecnologias que surgiram primeiro no universo da pornografia:

 
 
<
>

Se você tem alguma dúvida sobre tecnologia, escreva para 33giga@33giga.com.br e suas questões podem ser respondidas

Menu